Fala-me anjo de luz! é glorioso
À minha vista na janela à noite
Como divino alado mensageiro
Ao ebrioso olhar dos frouxos olhos
Do homem, que se ajoelha para vê-lo,
Quando resvala em preciosas nuvens,
Ou navega no seio do ar da noite.

Fala-me anjo de luz! é glorioso À minha vista na janela à noite Como divino alado mensageiro Ao ebrioso olhar dos frouxos olhos Do homem, que se ajoelha para vê-lo, Quando resvala em preciosas nuvens, Ou navega no seio do ar da noite.

- Romeu