Amo-te como o vinho e como o sono,
Tu és meu copo e amoroso leito...
Mas teu néctar de amor jamais se esgota,
Travesseiro não há como teu peito.

Amo-te como o vinho e como o sono, Tu és meu copo e amoroso leito… Mas teu néctar de amor jamais se esgota, Travesseiro não há como teu peito.

- Álvares de Azevedo

Fala-me, anjo de luz! És glorioso, à minha vista na janela à noite, como divino alado mensageiro
Ao ebrioso olhar dos froixos olhos (...)
A noite vai bela, e a vista desmaia
Ao longe na praia, do mar!

Fala-me, anjo de luz! És glorioso, à minha vista na janela à noite, como divino alado mensageiro Ao ebrioso olhar dos froixos olhos (…) A noite vai bela, e a vista desmaia Ao longe na praia, do mar!

- Álvares de Azevedo